Filiado à

CARTA AOS PAIS 1

CARTA AOS PAIS

Senhores pais,

Acreditem, nós sabemos o quanto está sendo difícil. Sabemos a dificuldade de ter que trabalhar, se dedicar aos filhos e auxiliar nossas crianças quando já não estamos familiarizados com temas escolares. Sabemos também que sem recursos tecnológicos, tudo fica mais complicado. Porém, através desta carta, nós, trabalhadores da educação, viemos pedir-lhes: aguentem firme mais um pouco.

Este pedido não é só por nós, mas também por você e sua família. O retorno das aulas presenciais de forma híbrida tem se tornado um grande risco para todos nós. São, aproximadamente, 16 mil alunos no município de Três Lagoas que nos ligam indiretamente a milhares de pessoas e talvez vocês não tenham pensado na tragédia que isso poderia trazer.

A pandemia está presente em nossas vidas desde o início de 2020 e parece ser uma eternidade, nós sabemos disso e também não aguentamos mais. Os professores estão trabalhando dobrado para ensinar de modo remoto e presencial, com seus próprios equipamentos, em um preparo contínuo de atividades, planejamentos e atendimento aos pais e alunos, durante dia e noite e, até mesmo, finais de semana. As “tias” e “tios” da merenda e limpeza, como nossos alunos chamam carinhosamente, não pararam um segundo se quer para manter as escolas organizadas. Diretores e coordenadores se sacrificam para serem humanos tanto com os profissionais da educação quanto com os alunos.

Vale ressaltar que os discursos que os governos de nosso município e estado propagam não condizem com a realidade em que vivemos. Voltar às aulas presenciais quando se tem preparo, equipamentos e profissionais para atender a grande demanda de alunos parece ser um plano viável na teoria, mas sabemos que essa não é a realidade. Não há materiais suficientes, não há profissionais para higienização a cada duas horas, e ainda faltam professores regentes e de disciplinas específicas para atender nossos alunos. A UTI pública está com 100% de ocupação e a enfermaria pública com 85% (restando somente 03 leitos disponíveis), não há vacina para todos e número de óbitos é exorbitante para um município com um pouco mais de 100 mil habitantes.

Um ano se passou e continuamos usando máscaras e álcool em gel a todo o momento, sem sentir o ar puro, e o pior: sem sentir o contato do carinho. Apesar de termos evoluído nas vacinas, ainda há um processo na fabricação e grupos prioritários, dos quais ainda não estamos inclusos. Este é um dos motivos pelo qual pedimos o fechamento das unidades de ensino na forma presencial e a manutenção do ensino remoto como melhor prevenção. É por vocês, por sua família e por todos nós. Aguentem firme!

Diretoria – triênio 2020/2023

Deixe um comentário